• Sandrinha Lesbaupin

Ansiedade?


O Brasil foi apontado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como sendo o país com a população mais ansiosa do mundo.

Você, com certeza, já sentiu algum desses sintomas: irritação, queimação no estômago, dor no peito e na cabeça constantes, tensão ou preocupação.Porém, quando essas sensações se tormam frequentes, você pode estar tendo uma crise de ansiedade.

Com as obrigações no trabalho, problemas em família e nos relacionamentos, é fácil estarmos expostos ao stress e nos sentirmos nervosos. No entanto, algumas reações ultrapassam a sensação de apreensão ou medo e tornam-se um desconforto que pode evoluir para outros quadros clínicos, como crise de pânico ou depressão.

Em 2017, o Brasil foi apontado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como sendo o país com a população mais ansiosa do mundo. São 9,3% da população com algum tipo de ansiedade ou outros transtornos relacionados como síndrome do pânico, fobias, TOC, estresse pós-traumático, ansiedade social e generalizada.

Insatisfação no trabalho e a falta de realização profissional são, frequentemente, geradores de ansiedade.

Tomar consciência da situação é a primeira coisa a fazer. Busque entender quais os motivos da ansiedade e quando ela se manifesta. Também é preciso quebrar o silêncio e pedir ajuda. Família, amigos e uma rede de apoio que te conheça e pode ter maneiras de auxiliar de forma imediata.

Depois, é preciso ter qualidade de vida: alimentação saudável, atividade física, meditação, relaxamento, respiração consciente. Sentir prazer no trabalho e em casa. Dar um tempo nas redes sociais e na TV para ler um livro ou escutar música.

Se mesmo assim a ansiedade persistir intensa, é bom procurar um psicólogo. Assim como o corpo, a mente também encontra maneiras de pedir socorro. A saúde mental não pode ser tabu. Ela é parte fundamental da vida e precisa ser cuidada com atenção. Cuide de você e de sua carreira. Ouse fazer mudanças!


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo